Código de Conduta

Nosso compromisso em manter atitudes éticas

Para a promoção de um ambiente de interações construtivas e positivas, este documento representa nossos anseios e direcionamentos para as relações sociais existentes entre os membros do comitê de Organização do Agile Brazil e sua participação com a comunidade.

Este Código de Conduta é o nosso compromisso em manter atitudes éticas durante toda a atuação das atividades que tangem a organização do evento, a Agile Alliance Brazil e a relação entre seus membros.

Em caso de conflito entre princípios e regras descritas neste Código de Conduta, prevalecem as regras de natureza éticas aqui mencionadas. Nosso princípio é que nenhum motivo - de concorrência econômica, de ambição pessoal ou proveito profissional - deve pôr em causa nosso compromisso com a integridade e o respeito mútuo.

Somos uma comunidade que preza pelo bem-estar de todos e queremos garantir que todos se sintam à vontade ao redor de outros membros da comunidade.

A quem se destina este documento?

Este documento é endereçado aos membros organizadores do comitê de Organização do Agile Brazil, que conta com a participação de inúmeros profissionais da indústria com diferentes históricos, e que se relacionam com fornecedores, prestadores de serviço e  empresas, além de se relacionarem entre si.

Esperamos que este documento seja um guia para relações mais humanas, honestas e íntegras entre todos os envolvidos com o evento.

Qual o objetivo deste documento?

O Código foi criado com o objetivo fundamental de:

  1. a) compartilhar com todos os princípios que orientam as atividades do grupo e as regras de natureza ética que devem orientar o comportamento de todos os seus membros e parceiros;
  1. b) promover e incentivar a adoção das regras comportamentais e dos princípios de atuação definidos neste código, nas relações dos membros entre si e com a Agile Alliance Brazil, palestrantes, voluntários, fornecedores e autoridades públicas;

c) consolidar a imagem institucional do evento Agile Brazil e da Agile Alliance Brazil, que deve se caracterizar pela excelência, responsabilidade e integridade.

A quem recorrer em caso de dúvida de comportamento?

Qualquer pessoa que pretenda comunicar uma irregularidade, alegadamente cometida por qualquer responsável, colaborador ou parceiro da Agile Alliance Brazil, deverá fazê-lo através de carta dirigida ao Conselho Fiscal, com a descrição sumária dos fatos. A identidade do divulgador se manterá anônima, se tal for explicitamente solicitado.

A queixa será analisada e serão adotadas as medidas que se considerem apropriadas.

No âmbito deste procedimento, compete ao Conselho Fiscal receber as informações a respeito de irregularidades enviadas pelos acionistas, colaboradores ou terceiros. Após o seu recebimento, o Conselho Fiscal deve registrar a alegada irregularidade, promover a sua investigação junto ao Board de Diretores e, com a devida diligência do Board da Agile Alliance Brazil, reportar as suas conclusões ao requerente.

Irregularidades que se referem ao próprio Comitê Fiscal deverão ser endereçadas aos Diretor Executivo da Agile Alliance Brazil para avaliação.

Condutas pessoais

Como organizador ou participante da Agile Brazil, eu me comprometo a seguir a política Anti-Assédio da Agile Alliance Brazil durante qualquer evento ou atividade relacionada à instituição ou à conferência. Em suma, me comprometo a:

  • Respeitar todos igualmente, independentemente de cor de pele, gênero, aparência, crença, orientação sexual, nacionalidade ou condições financeiras.
  • Não assediar ninguém de forma alguma: verbalmente, sexualmente, fisicamente, moralmente ou qualquer outro tipo de assédio.
  • Não incentivar ou participar de atividades discriminatórias ou que estimulem assédio.
  • Relatar qualquer assédio ou incentivo a assédio que presenciar a organizadores do evento ou membros da Agile Alliance Brazil, para que as devidas providências sejam tomadas.

Condutas anti-corrupção

Todo membro organizador do Agile Brazil ou participante ativo da Agile Alliance Brazil está proibido de receber qualquer tipo de pagamento, seja em dinheiro ou qualquer outra forma, em 

nome de ações que privilegiem o corruptor, seus amigos ou família em qualquer instância. Subornos e recompensas não podem ser prometidos nem recebidos por qualquer membro relacionado ao evento ou à Aliança.

Seguir as leis vigentes em nosso país é o dever de todos os membros da organização do evento, todos os membros da Aliança e participantes do evento.

São proibidos quaisquer pagamentos visando facilitar ações do comitê organizador, acelerar processos na organização ou ter acesso a informações privilegiadas. Não comunicar um pagamento proibido também caracteriza quebra no código de conduta do evento ou da Aliança.

Confidencialidade de informações

Qualquer membro da organização do evento ou da Aliança poderá ter acesso a informações confidenciais devido ao seu papel. Estas informações não poderão ser usadas fora desses âmbitos com o intuito de obter benefício pessoal, seja ele financeiro ou de qualquer outro tipo.

Informação confidencial inclui mas não se limita a dados bancários, informações financeiras, contratos firmados com fornecedores e patrocinadores, informações pessoais dos participantes, conhecimento sobre acontecimentos relacionados ao evento ou à Aliança, dentre outras. Qualquer uso dessas informações está sujeito ao devido consentimento da fonte da informação, às estratégias legais necessárias e aos procedimentos internos.

Fornecedores e parceiros comerciais

A escolha e contratação de fornecedores deve sempre ser baseada em critérios técnicos, profissionais, econômicos, ambientais, éticos e nas necessidades do grupo, devendo ser conduzidas por meio de processos predeterminados, tais como concorrência ou cotação de preços, que garantam a melhor relação custo-benefício.

Além disso, devem ser preferidos aqueles que adotarem as melhores práticas de gestão, de respeito aos seus funcionários, clientes, fornecedores, poder público, comunidade e público em geral, além do integral cumprimento à legislação.

Não são permitidos negócios com fornecedores de reputação duvidosa ou situação financeira deficitária.

Atualizado em 04/04/2016