#AgilidadeNaPratica

BELÉM.2017

13, 14 e 15 de Setembro

Convidamos a comunidade ágil para semear valores e princípios ágeis e juntos colher os frutos de nossa cultura. Em 2017 nossa convenção será realizada em Belém do Pará no Hangar!.
Inscreva-se!Conheça nossa grade

Keynotes confirmados

  • Manoel Pimentel

    Manoel Pimentel

    Keynote Speaker

    Manoel Pimentel é um catalisador de mudanças, Autor, Palestrante e Agile Coach na Elabor8 (Austrália). Tem trabalhado na área de TI pelos últimos 20 anos e foi um dos pioneiros na disseminação dos métodos ágeis no Brasil. Tem vasta experiência em ajudar organizações a integrar diferentes métodos ágeis (Scrum, XP, FDD, SAFe, Kanban) e modelos de governança.

  • Diana Larsen

    Diana Larsen

    Keynote Speaker

    Liderando a área de práticas de desenvolvimento de software ágil, liderança de equipes e transformações Ágeis na FutureWorks Consulting e co-criadora do Agile Fluency ™ model.

  • Linda Cook

    Linda Cook

    Keynote Speaker

    Expert em Transformação Ágil e líder em TI, que adora cavalos, é fundadora do Project Cooks e board member da Agile Alliance, Linda Cook cria produtos fenomenais com profissionais que curtem seu trabalho criativo e querem ser os melhores em seus serviços.

  • Joanna Martins

    Joanna Martins

    Out-of-the-box Keynote Speaker

    Publicitária pela Faap (São Paulo) e Administradora pela Aiec (Brasília). Atuou por 10 anos na área da comunicação, mas desde 2009 se dedica exclusivamente à gastronomia paraense. Está à frente do maior e mais antigo evento de gastronomia da região, o Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense e acredita que a melhor forma de desenvolver a região é valorizar seus ativos naturais, por meio da cadeia produtiva da gastronomia.

Conheça as trilhas

Programa transpirando práticas! Você é realmente ágil? Participe!

Dê uma olhada nas trilhas, voltadas para práticas ágeis :

  • Agilidade de Guerrilha

    Qualquer tipo de ambiente é resistente a mudanças, mas alguns são mais resistentes que outros. Nesse momento, é preciso ser assertivo e cirúrgico — nem sempre você consegue usar tudo, então você trabalha com o que pode, entendendo o contexto e tentando enfrentar as forças contrárias. Nessa trilha, vamos falar daqueles que não desistiram no primeiro “isso nunca vai funcionar aqui”, das pessoas que cuidadosamente escolheram suas armas, suas táticas e foram silenciosamente ganhando terreno, subvertendo discursos contrários e transformando mindsets. Esta trilha é sobre aqueles que caminharam pelas trincheiras e sobreviveram para contar a história e, também, para relembrar os guerreiros e guerreiras caídos que abriram os caminhos para o futuro.
  • É caindo que se aprende a levantar

    Errar não é festivo, fracassar não é gostoso, mas falhar é parte do caminho do aprendizado. O erro ainda é visto como um tabu em nossa sociedade e evitamos discutí-lo, encará-lo de frente, e, com isso, tiramos menos proveito do que podemos aprender com nossos erros e os dos outros. Esta trilha é sobre aqueles que tentaram e não conseguiram. Que combateram o bom combate, mas não saíram com o cinturão do ringue. Mais do que sobre as quedas e derrotas, esta trilha é sobre aprendizado, sobre voltar para cuidar das feridas e entender o que e porque deu errado. É para aprender a encarar o erro como algo possível e passível de aprendizado. É sobre aqueles nobres combatentes que falharam, mas se dispuseram a discutir os próprios erros para que outras pessoas não levem o mesmo tombo.
  • Evolua ou morra!

    Se você pensa sobre como tudo é transitório, que equipes, processos, empresas e mercados estão em constante mudança e precisam se adaptar, então essa trilha é a sua cara. A dinâmica relação entre mercados, tecnologia, empresas e equipes não pode ser descrita ou encarada de forma estática. Tentar engessar esse universo é a fórmula certa para o fracasso: ou você evolui, ou é devorado por quem evoluiu. Mas como ser leve para responder às mudanças e ainda se manter coeso e não perder o objetivo? Como fazer da melhoria um estado sempre transitório entre o passado e o futuro? Se essas perguntas fazem seu cérebro “coçar”, então esta trilha é o seu lugar.
  • Mão no código

    Para além da concepção e das ideias, esta trilha fala daqueles que trabalham transformando conceitos em coisas reais, da galera que escova bit, que abre a IDE, editor, terminal e codifica como se não houvesse amanhã. Não existe melhor maneira de discutir produção de software do que, literalmente, escrever software – ou seja, botar a mão no código. Aqui você vai ver casos e insights de quem tentou na prática ser mais eficaz, que testou, errou, acertou, aprendeu qual o conceito real de qualidade, evolução e manutenção de código. Você pode esperar destas sessões brainstorms sobre técnicas, padrões e arquiteturas, divagações sobre ferramentas, linguagens e frameworks, e muito mais. Se você é da galera “show me the code”, seu espaço é por aqui.
  • Papo de boteco: um laboratório de ideias

    Você gosta de falar sobre o futuro? Olhar por cima do muro e ver o que está despontando no horizonte? O que estão testando e aplicando em outros lugares, outras realidades? Quais ideias estão sendo testadas e evoluídas “on the fly”? Qual é a próxima tendência ou hype, e como ela está sendo discutida. Quem não conhece alguém (talvez você mesma(o)?) que já teve uma ideia em uma mesa de bar e que acabou amadurecendo em uma solução para um problema complexo? Baixando nossos filtros do que é plausível, saímos da caixinha — e tem tanto pra explorar do outro lado! Essa trilha é para aqueles que enxergam devaneios coisas novas e até improváveis. Hipóteses que ainda não foram comprovadas, ou ideias que não estão maduras, mas que já começaram a dar os primeiros passos na direção do mundo real. É o momento de deixar a mente trovejar e ser provocativa.
  • Pessoas, grupos e comportamento: o fator humano

    Existe muito mais nas relações entre pessoas do que o que pode ser tratado de forma simples em uma conversa. Encontrar o equilíbrio entre o coletivo e o indivíduo é fundamental, e existe uma arte em fazer com que grupos de trabalho se tornem times, aprendam a alinhar objetivos, balanceando forças e fraquezas para atingirem alta-performance. Se você gosta de estudar as relações sociais, entender como motivações de indivíduos influenciam a equipe, como facilitar insights ou se você só gosta mesmo de “bicho gente”, esta trilha é para você.

Tipos de sessão

  • Apresentação

    A tradição também tem lugar.

    Sessões do tipo Apresentação expõem assuntos, ideias e/ou experiências de forma a favorecer a compreensão e recebimento do conhecimento do palestrante. É o formato clássico de sessões e exige um bom domínio de quem as apresenta para manter o público entretido e, ao mesmo tempo, agregar valor. Não existem restrições neste tipo de sessão sobre quanto tempo o palestrante deverá dedicar ao esclarecimento de dúvidas e perguntas. Contudo, recomendamos reservar ao menos 5 minutos no final deste tipo de sessão para isso.
  • Mão na massa

    Porque ensinando se aprende.

    Sessões Mão na Massa são workshops e tutoriais com atividades práticas e alta participação do público. O objetivo principal é transmitir o conhecimento de uma maneira prática. Workshop é uma oportunidade para que os participantes aprendam uns com os outros sobre um tópico relevante, compartilhando idéias a fim de expandir uma nova técnica ou discutindo novas idéias a serem compartilhadas com a comunidade. Tutoriais são aulas guiadas por um instrutor para prover aos participantes conhecimento prático que possa ser usado de imediato em seu dia-a-dia.
  • Você está certo disso?

    Provocativo? Gosta de contestar status quo?

    Sessões "Você está certo disso?" buscam instigar o debate e reflexão da comunidade sobre um tema. O palestrante poderá ou não prover respostas, mas acima de tudo ele apresentará uma perspectiva inovadora ou contestadora sobre o status quo. Estas sessões são dinâmicas, sendo compostas de uma apresentação sobre o assunto de 20 minutos ou menos, e o restante do tempo dedicado à participação da audiência. Sessões desse tipo são para pessoas que acreditam que somente as perguntas certas obtém respostas que fazem diferença.
  • Exercite Sua Criatividade

    Formato inovador de sessão também tem espaço!

    Os outros tipos de submissão parecem não se encaixar na mecânica que você gostaria para trazer o seu conteúdo? Essa é exatamente a ideia de uma sessão do tipo “Exercite sua criatividade!”. Suas únicas limitações aqui são uma sala e um timebox. Como você vai utilizá-los para atingir seu objetivo está sob o seu domínio - ou, no caso, sob o domínio da sua imaginação.
  • Duelos

    A ‪#‎AgileBR‬ disponibiliza a arena - e você, uma boa briga.

    Duelos são sessões com o objetivo de incentivar o pensamento crítico e promover discussões com grande potencial para novos insights, mesmo aos agilistas mais experientes. É uma submissão única com dois palestrantes defendendo pontos opostos sobre um mesmo tema por 15 minutos cada, seguidos por 20 minutos de debate com o público presente.

Como tirar melhor proveito da Agile Brazil?

A Agile Brazil é uma conferência para públicos com todos os níveis de experiência. Você pode ser experiente em um assunto e novato em outro. Saiba como tirar melhor proveito disso e escolher entre...

  • Novatos

    Para quem está começando a ter contato agora com métodos ágeis e busca criar uma base de conhecimento sobre o tema.
  • Iniciante Avançado

    Pessoas que já seguiram alguns métodos em seus projetos e conseguem ver o que funciona e o que não funciona em sua experiência.
  • Competente

    Aqueles que já têm experiência o bastante para entender a aplicação contextual de práticas ágeis e estão interessados em conhecer outros contextos.
  • Proficientes

    Agilistas que têm uma compreensão mais profunda do tema e baseiam suas decisões em instintos adquiridos com experiência e em princípios ágeis, mais do que em processos ou práticas conhecidas.
  • Experiente

    Agilistas com uma compreensão mais profunda do tema, que dominam o assunto a ponto de liderar uma equipe ou capacitá-la em suas práticas.

E se você quiser encontrar aquela sessão especial só pra você, ainda temos tags

Seja um Patrocinador

A Agile Brazil é a maior conferência de métodos ágeis do Brasil.

Esta é uma grande oportunidade de estar junto com os principais profissionais da área e com as empresas mais inovadoras da nossa indústria. Como um patrocinador da Agile Brazil 2017, sua empresa poderá divulgar sua marca em uma comunidade de milhares de participantes. Oferecemos diversos níveis de patrocínio com excelentes benefícios. Obtenha mais informações através do email patrocinios@agilebrazil.com

Ajude-nos a construir mais um grande evento este ano!

Patrocinador Gold

Patrocinador On-line

  • LogoTivit
  • Logo Scrum Alliance
  • Logo Agile School
  • Kanbanize
  • Taller
  • Equilibrium Web
  • Meta

Apoiadores

  • Logo Caipira Ágil
  • Logo Agilidade.org
  • Logo Agilidade Floripa
  • Logo Agile Trends
  • Logo Tá Safo!
  • Logo Scrum Day Brazil
  • Logo Scrum Gathering Rio

HANGAR - Como Chegar?

Av. Dr. Freitas s/n

Marco - Belém - Pará

CEP 66.613-902

Assine Nossa Newsletter

Não fique por fora de nada que está acontecendo na Agile Brazil. Assine nossa newsletter e receba todas as informações em seu e-mail!