Sessions summary

Keynotes

  • Martin Fowler

    • Main Room
    • Thursday, June 24th
    • 9:00

    I'm an author, speaker, consultant and general loud-mouth on software development. I concentrate on designing enterprise software - looking at what makes a good design and what practices are needed to come up with good design. I've been a pioneer of object-oriented technology, refactoring, patterns, agile methodologies, domain modeling, the Unified Modeling Language (UML), and Extreme Programming. For the last decade I've worked at ThoughtWorks, a really rather good system delivery and consulting firm.

  • Philippe Kruchten

    • Main Room
    • Friday, June 25th
    • 9:00

    Philippe Kruchten is professor of software engineering in the department of Electrical and Computer Engineering of the University of British Columbia, in Vancouver Canada. He joined UBC in 2004 after a 30 year career in industry, where he worked mostly in with large software-intensive systems design, in the domains of telecommunication, defence, aerospace and transportation. Some of his experience is embodied in the Rational Unified Process (RUP) whose development he directed from 1996 until 2003, when Rational Software was bought by IBM. RUP includes an architectural design method, known as “RUP 4+1 views”. His current research interests still reside mostly with software architecture, and in particular architectural decisions and the decision process, as well as agile software engineering processes. He is the co-founder and chair of Agile Vancouver. Kruchten received his mechanical engineering diploma from Ecole Centrale de Lyon, and his doctorate degree in Information Systems from Ecole Nationale Supérieure des Télécommunications in Paris. He is a member of IEEE, ACM and AIS, and a Professional Engineer in British Columbia.

    Keynote: Agility in context

    Agile development methods such as eXtreme Programming (XP), Scrum, Crystal or Lean are conquering the software development world. They do bring major benefits to software development, with a renewed emphasis on the people aspects, and they are showing great successes. However, they are no panacea; there is no “one size fits all” in software development methods. Agile methods work well out of the box in a rather limited “sweet spot”. But it is very unfortunate that too many advocates of agile development practice are preaching good practices, but completely removed from the context in which they were proven to be successful. So if your projects are not typical, outside of that "sweet spot", should you stay away from agile methods? In this talk Kruchten introduces a framework to analyze the context of a given software project, around the eight concepts of: size, team distribution, governance, criticality, age of the system, business model, stable architecture, and rate of change; and show how to use this framework to select and adapt agile practices suited to the specific context of a project.

  • Klaus Wuestefeld

    • Main Room
    • Friday, June 25th
    • 16:45

    Klaus already worked in pairs with Kent Beck, Vinicius Teles and Scott Ambler. Participated of the first internacional XP conference, in 2000, in Italy. Organized "Extreme Programming Brasil 2002 and 2004" in which Beck, Ambler, Teles, Tom and Mary Poppendieck, and other famous guests participated. He is responsible for Prevayler and the manifesto of the sovereign computing. Leads development projects and XP trainings in companies such as TV Globo, Siemens, TIM and Central Bank of Brazil.

    Keynote: Learning and Coolness - Beyond XP

    How would be XP, after ten years applying the practice, succeeding, failing, adapting, simplifying and optimizing? Which values stay? Which leave? And the practices, what changes? Come discover and discuss how works, today, the pioneer of XP in Brazil.

General Interest

Ponha as cartas na parede, o uso eficaz do "Agile Card Wall"

  • Practitioner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • General Interest Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:00
Paulo Caroli

Paulo Caroli serves ThoughtWorks as an Agile Coach with over 14 years of software development experience. He has a proven track record in variety of IT roles including: Developer, Application Architect, Project Manager, Business Analyst, Quality Assurance, and Trainer. In 2000 Paulo first encountered Extreme Programming, since then he has been ever-increasing his expertise in Agile Management and Agile Development processes and practices. Paulo has been authoring articles, conference sessions, and open source projects in a variety of IT subjects. For more information, please check www.caroli.org.

Paulo joined ThoughtWorks in 2006 and has held the positions of Agile Development Coach, Trainer, and Project Manager. Prior to joining ThoughtWorks, Paulo has worked for several software corporations: research labs, Silicon Valley start-ups, large companies and software consultancies. He has several years of experience coaching and influencing high performance teams (collocated and offshore) in the delivery of custom technology solutions across a wide range of industries. Paulo holds a B.Sc. in Computer Science and an M.S. in Software Engineering both from Pontificial Catholic University of Rio de Janeiro, Brazil (PUC-Rio).

Conheça melhor a abordagem singular dos métodos ágeis para a gestão e processo de desenvolvimento: o “Agile Card Wall”

Este tutorial sobre “Agile Card Wall” explica esta abordagem única para a gestão e acompanhamento do desenvolvimento de software. Você vai aprender técnicas valiosas que podem ser aplicadas a qualquer empresa e equipe que procura melhorar a sua implementação Agile. Você vai descobrir como uma simples ferramenta que complementa as práticas, princípios e valores de Agile pode transformar sua organização.

Coaching de Guerrilha

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • General Interest Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:00
Francisco Trindade

Francisco Trindade works as developer, coach and consultant at ThoughtWorks UK in London. He has many years of experience in software development, always working with agile methodologies.

Francisco is graduated in Computer Engineering and holds a master degree in Human Computer Interaction. He has presented in different events, more recently at Agile 2009 in Chicago, XP 2009, in Italy and Agiles 2008 in Argentina.

Em diversas situações praticantes de métodos ágeis atuam em ambientes onde a cultura existente dificulta a realizacao de mudanças.

Apesar de preferível, o cargo de coach não é essencial para a inovação na forma de trabalho de uma equipe, e essa apresentação tem como objetivo mostrar como todos os membros de um time podem ser agentes de mudança mesmo que não possuam a autoridade para isso.

A palestra visa relatar a experiência adquirida em dois projetos semelhantes, apresentando diferenças entre essas situações e trabalhos de coaching, assim como técnicas utilizadas, problemas e soluções encontrados.

Products and People over Process and Dogma

  • Expert
  • Talk
  • 45 minutes
  • Main Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:00
David Hussman

David leads DevJam, a Minneapolis based company composed of agile collaborators working in the US, Europe and beyond. As mentors and practitioners, DevJam focuses on using agile methods to help people and companies improve their software production skills. DevJam provides seasoned leaders that strive to pragmatically match technology, people, and processes in a way which produce software that makes people happier and more productive.

Along with coaching, presenting, leading workshops and tutorials at conferences in the U.S. and Europe, David has contributed to several books (“Managing Agile Projects” and “Agile in the Large”), worked on agile curriculum for The University of Minnesota and Capella University, and is currently writing a book for the Pragmatic Programmer series.

For more information, check out the DevJam website www.devjam.com.

The time has come to shift our focus away from process to products and people. 10 years into the agile movement, the fresh, lightweight process once created are gaining weight and often calcifying to a dangerous degree. Where meaningful and lasting agility thrives, agile practices are powerful tools but not the focus of daily discussion. Real value flows as development agility augments design thinking to continually discover your product context: users, use and market. From design thinking to lean start-ups to the value of simple checklists, this talk will challenge you to stop focusing on improving your process and start focusing on improving your product. Come ready to think, question and rethink your use of agile practices.

Fatores críticos para a prática de valores ágeis com Scrum

  • Practitioner
  • Workshop
  • 90 minutes
  • Limit: 60 participants
  • General Interest Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:45
Marcos Garrido

Marcos Garrido, CSPO, é graduado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e tem MBA em Gestão Empresarial. Seu histórico inclui oito anos de experiência em gerência de projetos de TI e liderança de equipes de desenvolvimento.

Ele é Certified Scrum Product Owner. Trabalha atualmente como Product Owner e Scrum Coach. Está cursando o Mestrado em Administração na PUC-Rio e sua dissertação é sobre a percepção dos clientes quanto à adoção de Scrum em projetos.

Foi palestrante do Brazil Scrum Gathering 2009, Ágiles 2009 e Germany Scrum Gathering 2009 e será palestrante no Orlando Scrum Gathering, além de realizar workshops sobre Scrum para a inclubadora de empresas da PUC-Rio.

Rafael Sabbagh

Rafael Sabbagh, CSP, é Engenheiro de Computação graduado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e tem MBA em Gestão Empresarial. Seu histórico inclui oito anos de experiência em gerência de projetos de TI e liderança de equipes de desenvolvimento.

Ele é Certified Scrum Practitioner e Certified ScrumMaster. Trabalha atualmente como ScrumMaster e Scrum Coach. Está cursando o Mestrado em Administração na PUC-Rio e sua dissertação é sobre o uso de Scrum e valores ágeis no Brasil.

Foi palestrante do Brazil Scrum Gathering 2009, Ágiles 2009 e Germany Scrum Gathering 2009.

Este workshop é uma sessão colaborativa, realizada através de dinâmicas com a participação ativa dos participantes, cujo objetivo é discutir sobre os fatores críticos que ajudam times de Scrum a colocar os valores ágeis em prática, e os fatores críticos que os dificultam ou impedem. A sessão é baseada em uma pesquisa de Rafael Sabbagh para a sua dissertação de mestrado na PUC-Rio.

Rafael entrevistou membros de times e ScrumMasters de 16 projetos em 9 estados brasileiros, confrontando os dados com testemunhos coletados em extensa pesquisa nos arquivos de grupos de usuários de Scrum no Brasil.

Por que eu sou fanático por testes e você é um bobão

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • General Interest Room
  • Thursday, June 24th
  • 17:30
Sylvestre Mergulhão

Bacharel em Sistemas de Informação pela UNIRIO formado em 2006. Conheci os principios ágeis em meados de 2007 e tive o grande prazer de trabalhar no Projeto Lucidus, tendo como couch XP o Vinicius Teles.

Durante o Lucidus foi formado um grupo que se reunia toda segunda após o expediente para beber cerveja esperando a hora do rush passar. Mais de um ano depois do fim do projeto, o grupo cresceu e continua se encontrando. A cada segunda temos mais conversas sobre desenvolvimento, linguagens e tudo mais, mas principalmente: cerveja! Em nosso blog atualizamos semanalmente os #facts. No ano passado saiu o Dev in Rio e acabamos de lançar o Manifesto com o que acreditamos.

Atualmente sou CTO do site Redeparede.com.br, gerenciando um pequeno time remoto de desenvolvimento. No início quase não tínhamos cobertura de testes e boa parte do que existia estava quebrado. Tínhamos problemas frequentes com leak de memória e slow queries. Todo o site está sendo reestruturado. Hoje temos uma cobertura de testes aceitável, utilizamos 1/4 da quantidade original de servidores e nem monitoramos mais as slow queries, pois elas são inexistentes. Isso foi realizado utilizando os valores, princípios e práticas do XP como: coragem, simplicidade, melhoria contínua, baby steps, testes automatizados, releases frequentes e por aí vai.

Paralelo a tudo isso eu palestrei pelo Brasil sobre diversos assuntos. Veja meu currículo.

Henrique de Andrade

Coordenador do Setor de Desenvolvimento de Sistemas da Coordenação de Ensino à Distância da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (CEAD-UNIRIO). Bacharel em Sistemas de Informação. Mestrando em Engenharia de Sistemas e Computação na COPPE-UFRJ. Professor de Emprrendedorismo e Ética Profissional no curso Tecnologia em Sistemas e Computação na Universidade Federal Fluminense (UFF).

Organizador do Fórum de Software Livre do Rio de Janeiro. Membro atuante do SL-RJ. Tem palestras ministradas em eventos como FISL, CONISLI, LATINOWARE e ETS, sendo que nos 2 últimos foi apresentada a esquete teatral “Por que sou fanático por testes e você é um bundão?” junto de Sylvestre Mergulhão.

Você acha que é desenvolvedor de software de qualidade? Você deve ser um bobão mesmo!

Nessa esquete você irá se divertir com o dia-a-dia de dois desenvolvedores que trabalham na mesma empresa. Um usa TDD e outro usa POG. Você aprenderá com a experiência e os erros de percurso dos personagens enquanto trabalham no desenvolvimento de um sistema. E é claro, o cliente é um chato!

Arrumando a cozinha com Pomodoro, GTD, TDD e Scrum

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • General Interest Room
  • Thursday, June 24th
  • 18:15
Bruno Pedroso

Bacharel em ciência da computação pela Universidade de Brasília, onde atualmente desenvolve seu projeto de mestrado sobre desenvolvimento orientado a testes. Organiza dois grupos de Coding Dojo: DojoSEA e DojoBrasília, ministra cursos e palestras sobre XP há cerca de três anos, e escreve em diversos blogs a respeito do assunto. É desenvolvedor com 12 anos de experiência, e atua hoje como coach de projetos e coordenador da área técnica da SEA tecnologia, dando grande enfoque à aplicação de valores e princípios do XP.

Essa palestra apresentará as metodologias Pomodoro, GTD, TDD e Scrum enquanto peças de um sistema metodológico integral. Serão apresentadas em uma visão geral e contextualizadas no novo modelo de trabalho que se desenvolve no início desse século. Serão evidenciadas suas semelhanças e os princípios em comum que as tornam coesas em um sistema com características fractais, ou auto-similares.

Você é ágil mesmo? Erros comuns de equipes que pensam ser ágeis. Não seja uma delas!

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • General Interest Room
  • Friday, June 25th
  • 14:00
Dairton Bassi

Envolvido com desenvolvimento ágil há mais de 7 anos, atuou como desenvolvedor, líder técnico, coach de equipes, ScrumMaster, consultor de métodos ágeis e empreendedor. Nessas posições, acompanhou ou conduziu a implantação de metodologias ágeis em empresas com diversos perfis. É Mestre em Engenharia de Software Ágil pela USP e Bacharel em Ciência da Computação pela mesma instituição. Co-fundador da AgilCoop, sócio da Neurobox e criador do Encontro Ágil, atua junto a empresas na implantação de modelos ágeis de desenvolvimento de software.

A explosão do uso de métodos ágeis no Brasil fez com que alguns valores se perdessem e diversas práticas passassem a ser executadas mecanicamente, sem que seus praticantes tenham conhecimento da sua finalidade ou da forma correta de realizá-las. Como resultado, muitas equipes são menos ágeis do que pensam ser e têm dificuldades para atingir seus objetivos. Nessa sessão, vamos mostrar esses erros e apontar dicas para evitá-los. Venha para ter certeza de que você também não está errando sem saber!

Retrospectivas ágeis: faça-as ou fracasse!

  • Beginner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • General Interest Room
  • Friday, June 25th
  • 14:45
Mariana Bravo

Mariana estuda e utiliza métodos ágeis desde 2006, interessando-se por temas como TDD, software craftsmanship, experiência do usuário (UX) e comunicação. Ajudou na criação e crescimento do Coding Dojo São Paulo, assim como na organização do Encontro Ágil em 2008 e 2009. Formada em Ciências da Computação no IME-USP, atualmente cursa mestrado no mesmo instituto, pesquisando técnicas e abordagens para ensino de práticas ágeis.

Hugo Corbucci

Hugo Corbucci é mestrando em Ciências da Computação do IME/USP com o tema “Aplicação de Métodos Ágeis ao Desenvolvimento de Software Livre”. Ele é fundador e coordenador do projeto Archimedes – The Open CAD e organizador do Coding Dojo São Paulo.

Foi professor nos cursos de verão do IME/USP onde também atuou como assistente de ensino no curso de Programação Extrema da graduação. Também já ministrou cursos sobre métodos ágeis no ICMC e foi palestrante em conferências nacionais e internacionais.

Já foi desenvolvedor e assessor em métodos ágeis na Maps Risk Management Solution no período de adoção de Scrum da empresa. Atualmente é sócio-fundador da Agilbits e atua como programador e líder de projetos desenvolvendo sistemas desktop com Java usando a plataforma Eclipse RCP e sistemas web com Ruby usando Rails. É apaixonado por programação e trabalho em equipes além de ser um assíduo escalador.

Métodos ágeis se apoiam fortemente no princípio de melhoria contínua, no qual o processo deve evoluir e melhorar continuamente ao longo do tempo. A retrospectiva é a prática mais conhecida e evidente para apoiar esse princípio. Graças a ela é possível partir do nada e montar o melhor processo possível para sua organização.

Neste tutorial explicaremos a importância das retrospectivas, seu papel no ritmo ágil e seus princípios básicos. Também apresentaremos diversos formatos de retrospectiva que podem ajudá-los a sempre buscar melhorias em algum aspecto de seu processo. Além disso, faremos um exercício prático de uma curta retrospectiva focada no próprio evento.

Agile Adoption Anti-patterns

  • Practitioner
  • Talk
  • 90 minutes
  • Main Room
  • Friday, June 25th
  • 14:45
James Lewis

I am a Lead Consultant for ThoughtWorks, based in the UK, where I have helped introduce Agile to various blue chip companies: Investment Banks, Publishers and media organisations.

I studied Astrophysics in the 90s but got sick of programming in Fortran. Twelve years of DBA, Java development, software design and software architecture later, I believe that writing software is the easy part of the problem. Most of the time it’s about getting people thinking right.

I am passionate about the XP practices, seeding cultural change within organisations and applying what I’ve learnt to deploy maintainable, robust and scalable software into production on time and on budget.

This session focuses on the things that you shouldn’t do when trying to introduce Agile practices to an organization. Maybe you drank the Agile kool-aid and are struggling to introduce agile on your own or you are an Agile Coach trying to make some sense of the madness that is your current client. There are many more ways for agile adoption to fail than for it to succeed.

Drawing on his experience introducing Agile in large blue-chip organisations, the speaker will showcase a number of anti-patterns, technological to methodological that could put your agile rollout at risk.

Engineering

Testar: impossível

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:00
Jorge Alberto Diz

Pesquisando metodologias ágeis desde antes do manifesto (1.0), e fisgado pelo teste de software desde '94, na estrada de 27 anos na área de TI, em que fiz um pouco de tudo.

Atualmente, sou consultor em metodologias ágeis, focado nas práticas de engenharia em geral e em testes em particular. Também ministro aulas sobre teste de software e tecnologia Java, tendo idealizado a Academia de Testes da Globalcode e a dinâmica de Testing Dojo.

Fui palestrante em diversos eventos sobre agilidade, incluindo XP Brasil 2002 e 2004 e Ágiles 2009. Também montei a trilha de metodologias da TDC 2008 em SP. Participo ativamente das comunidades ágil e de teste de software, sempre procurando pontes entre ambas.

Mestre em Engenharia Elétrica (doutorado também iniciado mas incompleto) e Bacharel em Ciência de Computação pela Unicamp. Detentor de algumas certificações, incluindo a polémica CSM.

Não há agilidade sem testes. Mas, nas transições para a agilidade, há barreiras para a adoção de testes. Os praticantes de métodos ágeis entendem que testes são importantes, mas certas áreas parecem ser proibidas ou não testáveis. Esta palestra explora estes empecilhos para a adoção, e mostra que o tratamento deficiente da disciplina de testes é um endividamento técnico a juros de agiota.

Automação de testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:45
Gabriela de Oliveira Patuci

Formação pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP em Tecnologia em Informática.

Cursando matérias de mestrado na mesma universidade com foco em Engenharia de Software / Testes.

Trabalha desde 2004 com Testes de Software em empresas como CPqD e Projeto Harpia – Parceria entre Receita Federal , ITA e Unicamp.

Atualmente trabalha com Testes em projetos ágeis na Ci&T, sendo 2 anos com clientes internacionais.

Tem interesse por engenharia de software bem como qualidade e metodologias ágeis.

Já foi palestrante de eventos regionais como o SPIN Campinas.

O objetivo desta palestra é mostrar ao público iniciante como aplicar automação em testes de regressão e de fumaça. Mostraremos ferramentas que podem ser utilizadas como o Selenium IDE e o Canoo e como utilizar esses testes com Integração Contínua.

Um exemplo de ferramanta de integração contínua tb será exibida: Hudson. Todos os conceitos serão baseados em ferramentas e métodos utilizados em projetos /experiências reais dos últimos 2 anos.

Já que vai fingir, finja direito - Testando com Mocks

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:00
Rafael Ferreira

Ex-graduando de ciência da computação na USP, consultor em práticas de desenvolvimento na Caelum, interessado em descobrir e criar melhores maneiras de criar software.

Lucas Cavalcanti

Bacharel em Ciências da Computação pela Universidade de São Paulo, desenvolvedor e consultor pela Caelum. Trabalha com Agile desde 2007, principalmente com Scrum e XP.

Uma parte muito importante dos testes unitários é conseguir isolar o que você está testando. Uma técnica para fazer isso é o mocking, que consiste em controlar o comportamento das dependências do sistema sob teste. Apesar de ser uma prática simples e fácil de ser adotada, existem algumas sutilezas importantes para se criar uma boa suíte de testes usando mocks, que abordaremos nesta palestra.

Reconheça! Você não sabe modelar! Iniciando Projetos Ágeis

  • Beginner
  • Workshop
  • 90 minutes
  • Limit: 60 participants
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:45
Rodrigo Yoshima

Técnico em Processamento de Dados (UNESP) e Bacharel em Administração de Empresas (Mackenzie, SP), trabalha com desenvolvimento de software desde 1994. É colunista da Revista MundoJava desde 2006 e palestrante nos maiores eventos de Tecnologia do País. Já treinou mais de 100 equipes em práticas ágeis com Scrum e XP em mais de 20 empresas como UOL, Cemig, Infraero, Sul América, Procwork entre outras.

É Arquiteto de Software, Instrutor e Agile Coach na Aspercom. Atualmente lidera a implantação de métodos ágeis na Sul América Seguros, uma das maiores implantações do país.

Phillip Calçado

http://au.linkedin.com/in/pcalcado

Neste workshop prático vamos simular o planejamento inicial de um projeto ágil utilizando as mais variadas técnicas de modelagem como Domain-Driven Design, CRC Cards, User Stories, Paper Prototyping e Brainstorming.

Ajude o cliente a compreender melhor o problema, melhorando seu planejamento e auxiliando as suas estimativas. Um bom modelo ou protótipo serve como uma simplificação de algo complexo, uma abstração útil para o desenvolvimento do projeto. Em projetos ágeis a modelagem está presente, porém, ao invés de uma modelagem solitária numa ferramenta UML, equipes ágeis inovam em colaboração, usando artefatos simples numa dinâmica divertida.

Test-Driven Development na prática

  • Beginner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • Main Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:45
Paulo Silveira

Paulo Silveira é bacharel e mestre em Ciência da Computação pela Universidade de São Paulo, possui mais de 10 anos de experiência com desenvolvimento, passando pela Alemanha, pelo IBOPE e por dois anos como instrutor da Sun Microsystems. Coordena os cursos da Caelum, ministra os cursos de verão da USP e é um dos fundadores do GUJ.com.br e editor técnico da revista Mundo Java.

Testes de unidade parecem um bom negócio, até o momento que você tenta implementa-los em seu projeto. Num projeto já em andamento, o alto acoplamento praticamente impossibilita que você adote testes, o que desanima a equipe em relação a essa prática fundamental das equipes ágeis. Veremos como o TDD funciona na prática, escrevendo um código do zero, e mostrando como isso também impacta o acomplamento e coesão do seu sistema, e como isto está intimamente ligado a inversão de controle e injeção de dependências.

Erros comuns em Test-Driven Development

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 17:30
Mauricio Aniche

Aluno do programa de mestrado em Ciência da Computação do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo, onde pesquisa sobre TDD e sua influência no código final produzido. Atua também como desenvolvedor na Locaweb, empresa de produtos de internet líder no mercado brasileiro e um dos cases mais famosos de implantação de métodos ágeis do Brasil.
Mauricio estuda métodos ágeis há pouco mais de 2 anos, e já palestrou sobre o assunto em algumas empresas privadas, obtendo bom feedback.

Test-driven development (TDD) é uma prática de desenvolvimento de software que teoricamente ajuda a produzir código de melhor qualidade e com menos defeitos. TDD é uma prática simples, mas os desenvolvedores tendem a cometer desvios durante a prática. Essa palestra apresenta alguns dos erros mais comuns praticados, identificados através de um questionário com 218 desenvolvedores de todo o mundo. Alguns desses erros como “esquecer de refatorar”, “criar cenários de teste complexos frequentemente” e “refatorar outro trecho de código enquanto trabalha em um teste” são feitos de maneira frequente por aproximadamente 25% dos programadores em geral.

Rápido ou ágil?

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Thursday, June 24th
  • 18:15
Giovanni Bassi

Giovanni Bassi é Microsoft MVP e Scrum Developer Trainer pela Scrum.org. É certificado PSM, CSM, MCSD .Net, e MCPD Enterprise Application Developer.
Trabalha com a plataforma .Net desde antes do seu lançamento, atuando como consultor independente. É focado principalmente em arquitetura e melhores práticas, e seu trabalho consiste em auxiliar as empresas na adoção de boas práticas, de novas tecnologias Microsoft e na definição da estratégia de engenharia de departamentos de TI. Também realiza atividades de mentoring, ministra treinamentos especializados, dá palestras sobre .NET e arquitetura de software e é professor universitário. Atualmente faz parte do corpo editorial da .Net Magazine, após ter sido seu editor.
É fundador do grupo de estudos sobre arquitetura de software .Net Architects.

Acesse seu site em giovannibassi.com e seu blog em unplugged.giggio.net, e seu twitter em @giovannibassi.

“Ágil” no dicionário Aulete, tem como primeira definição: “Que se move ou age com muita facilidade, destreza e rapidez”.
Tenho certeza que você conhece desenvolvedores que se movem e agem com rapidez: é só aparecer o patrocinador do projeto que ele se esconde. Ele também “age com muita facilidade” na hora de arrumar desculpas pros problemas no código ou no projeto.

Será que esse desenvolvedor é ágil?

Nesta palestra vamos analizar porque tantas empresas parecem estar caminhando para o “rápido” enquanto deveriam estar buscando o “ágil”. Veremos os conceitos errôneos frequentemente associados à agilidade como falta de compromisso, anarquia, falta de planejamento, falta de documentação, baixa qualidade, entre outros, e vamos tentar entender de onde eles vieram.

Refatoração de Testes

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Engineering Room
  • Friday, June 25th
  • 14:00
Eduardo Guerra

Eduardo Guerra é pesquisador em desenvolvimento de frameworks, participando de projetos open-source como SwingBean, Esfinge Framework, ClassMock e JColtrane. Também realiza pesquisas em técnicas de design com ênfase em métodos ágeis, como novas abordagens para refatoração e testes automatizados. Atualmente está cursando Doutorado no ITA, onde também já concluiu graduação em Engenharia da Computação e mestrado. Possui as certificações SCJA, SCJP, SCWCD, SCBCD (1.3 e 5.0), SCJWSD, SCMAD e SCEA e experiência como arquiteto de software nas plataformas Java SE, Java EE e Java ME. Atua também como professor na graduação do ITA e nos cursos de pós-graduação ITA/Stefanini. É editor-chefe da revista MundoJava, onde atua também como articulista a mais de 3 anos.

Quando o TDD está sendo utilizado em uma aplicação, qualquer alteração de requisitos deve ser ajustada primeiramente nos testes de unidade. Isso faz com que a clareza de código dos testes seja tão importante quanto a do código de produção. Essa palestra irá falar sobre a refatoração do código de testes como uma forma de melhorar continuamente a sua qualidade. Irá apresentar questões como “qual o comportamento de um teste?”, além de novas refatorações e sua classificação.

Transformando os pepinos do cliente no código de testes da aplicação com Cucumber

  • Beginner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • Engineering Room
  • Friday, June 25th
  • 14:45
Rodrigo Urubatan

Trabalho com desenvolvimento desde 1997, já desenvolvi sistemas em diversas linguagens, como Delphi, C, C++, PHP, ASP, ColdFusion, Assembly, Leather, Java e Ruby.
Atualmente trabalho com pesquisa e desenvolvimento na HP, utilizando principalmente Java, Flex e Ruby. Nas horas vagas apresento algumas palestras em eventos sobre Java, Ruby e Agile pelo brasil e escrevo no meu blog.
Alem de ser o autor do livro “Ruby On Rails: Desenvolvimento fácil e Rápido de aplicações web”

Um dos maiores problemas do desenvolvimento hoje é o ruido que existe entre o que o cliente quer e o que o desenvolvedor entende.
Este tutorial vai apresentar uma abordagem BDD para coletar os requisitos com o auxilio do cliente utilizando User Stories, e utilizar o Cucumber para tornar o texto escrito em conjunto com o usuário em código executável de testes de aceitação. Estes testes poderão então ser aplicados a aplicação que será entregue para o cliente, sendo esta escrita em Rails, Java para Web, Java com SWING, ou .NET
Poupando trabalho dos desenvolvedores, dos testadores, dos analistas e deixando o usuário feliz, já que ele mesmo ajudou a escrever e consegue entender os testes de aceitação que foram executados.
Não sera necessário um computador para acompanhar o tutorial

Experience Reports

Em casa de ferreiro o espeto é de pau !

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:00
Jonas Abreu

Autor e co-criador do blog VidaGeek.net, trabalhei durante pouco mais de 2 anos na Caelum (empresa focada no ensino de Java e Ruby) como instrutor, desenvolvedor e consultor. Em meu trabalho como consultor, diversas vezes auxiliei na implantação de práticas ágeis (em geral focado em engenharia, embora algumas vezes tenha auxiliado na implantação de Scrum).
Atualmente trabalho na Adaptworks (empresa com foco em treinamentos em Scrum) como membro do time de desenvolvimento de produtos.

Fabiano Milani

Co-fundador da AdaptWorks, Certified Scrum Practitioner pela Scrum Alliance e Certified Personal & Professional Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, com 17 anos de experiência na área de T.I., graduado em Matemática Plena Licenciatura e Bacharel em Informática, participando de projetos de variadas dimensões de lead time, escopo e investimento, já atuou como instrutor, desenvolvedor e coordenador de desenvolvimento de vários segmentos de empresa, atualmente faz parte do time da AdaptWorks atuando como Scrum Coach, consultor e coach em liderança e gerenciamento de projetos com metodologias ágeis, como Scrum, XP e FDD.

Quando nós da AdaptWorks, ensinamos, que o Scrum é simples de entender mas difícil de aplicar, e mais uma série de “detalhes” que precisamos tomar cuidado com o lado empírico e bom senso na gestão, estamos querendo dizer que isso não acontece só com nossos clientes, mas conosco também. Nessa palestra iremos abordar os principais problemas e dificuldades que passamos e estamos passando com a gestão de um projeto dentro da AdaptWorks.

Scrum além da produção de software

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:45
Cássio Antonio

Trabalhando com desenvolvimento para web desde 1999, estudo os princípios ágeis desde 2008.
Como gerente de TI em uma das principais agências digitais do país, fui responsável pela implementação e atualmente pelo coaching da primeira equipe SCRUM na empresa.

Os conceitos de agile como muitos conhecem hoje e frameworks como Scrum foram criados por profissionais de desenvolvimento de software para se trabalhar com desenvolvimento de software. Porém, sua abordagem de controle empírico de processos se aplica e traz benefícios a outros ambientes que lidem com produção intelectual em geral.

Uso Práticas Ágeis no Desenvolvimento Distribuido de Software, com apoio de tecnologias Open Source

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:00
Guilherme Lacerda

Guilherme Lacerda é Mestre em Sistemas de Informação, área de Engenharia de Software, pela UFRGS.
Dedica-se atualmente em atividades de consultoria e treinamento em Engenharia de Software, Gerência de Projetos e Metodologias Ágeis.
É instrutor/consultor da TargetTrust Treinamento e Tecnologia, na área de Metodologias Ágeis.
Professor Universitário de Graduação (FACENSA, UniRitter) e Pós-Graduação (UniRitter).
Atuou como diretor de tecnologia de uma empresa do ramo de software livre e open source durante 9 anos. Desenvolveu dezenas de projetos com tecnologias C/C++, PHP e Java, usando Metodologias Ágeis.
Pioneiro em Metodologias Ágeis no Brasil, onde atua desde 2001, com especial ênfase em Lean, SCRUM e eXtreme Programming.
Certified SCRUM Master (CSM) e Certified SCRUM Practitioner (CSP) pela SCRUM Alliance.
Palestrante em dezenas de eventos nacionais e internacionais sobre o tema.
Participou da revisão técnica do livro “eXtreme Programming Explained”, do Kent Beck, lançado em 2004 pela Bookman.
Fundador do XP-RS/GUMA, onde atua na vice-coordenação.
Editor do Portal InfoQ, edição Brasil.

Nesta palestra, será apresentado um relato de experiência do uso de Metodologias Ágeis (Lean, SCRUM e XP) no Desenvolvimento Distribuido de Software (DDS), com apoio de tecnologias FLOSS (Free-Libre Open Source Software). Este projeto foi desenvolvido para uma prefeitura do interior de SP, com equipe de desenvolvimento localizada fisicamente no RS. Serão discutidos os problemas, dificuldades e superações através do uso de práticas e valores do XP, SCRUM e Lean, além do uso de tecnologias Livre/Open Source.

Arquitetura de Software Lean: sim, é possível!

  • Expert
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:45
Paulo Camara

- Profissional com mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de softwares em plataforma distribuída, em ampla variedade de tecnologias e cenários de negócio.
- Profunda experiência no design e validação de arquiteturas para softwares de missão crítica, em especial em plataforma Web.
- Gerente da área de tecnologia e arquitetura de software da Ci&T, liderando um time de mais de 20 arquitetos que atuam nos clientes globais da empresa.
- Responsável pela prática Mobile na Ci&T
- Membro atuante do grupo responsável pela implantação e disseminação da cultura Lean / Agile na empresa, além de representante do time de arquitetura na revisão do processo de arquitetura da empresa, visando incorporar os princípios Lean.

Daniel Vieira Magalhães
  • Formação Acadêmica: Bacharelado em Ciências da Computação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), conclusão em 2004.
  • Experiência Profissional: 2 anos como Engenheiro de Software e 2 anos como Scrum Master e 1 ano como Agile Coach
  • CSM e CSPO
  • Experiência com métodos ágeis e atuação na comunidade:
    • 3 anos de experiência na metodologia ágil, participando da equipe editorial da InfoQ, grupos de discussão e redefinição dos processos da empresa para os métodos ágeis e participando de encontros da comunidade.
    • Palestrante no evento Scrum Gathering Brazil 2009, ocorrido nos dias 12 e 13 de maio de 2009 em São Paulo, juntamente com João Paulo Coelho. Tema da palestra: Avaliando Scrum num ambiente CMMI5
    • Palestrante na Segunda Conferência de Qualidade de Software, promovida pela ASR Consultoria nos dias 11 e 12 de novembro de 2009 em São Paulo, juntamente com João Paulo Coelho. Tema da Palestra: Utilizando metodologias ágeis em uma empresa CMMI nível 5

Durante anos, as metodologias tradicionais de desenvolvimento definiram processos extremamente estruturados e, muitas vezes, burocráticos para conduzir o trabalho de design e validação da arquitetura dos softwares.

Nessa palestra, pretende-se mostrar como transformar os processos e princípios tradicionais de forma a fazer com que o trabalho de arquitetura passe a ser feito seguindo os princípios da filosofia Lean e das metodologias ágeis, mantendo e, algumas vezes até melhorando, o mesmo nível de confiabilidade das soluções técnicas entregues aos clientes.

A Evolução do SiVIEP: três anos de Scrum em um projeto de P&D entre a Petrobras/PUC-Rio

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 15:30
Rodrigo de Toledo

Rodrigo de Toledo é PhD pelo INRIA na França e mestre pela PUC-Rio.

Na área acadêmica, tem diversos artigos internacionais em computação gráfica e lecionou por alguns anos na PUC-Rio.
Rodrigo trabalhou por dez anos no Tecgraf onde desempenhou por um ano o papel de Scrum Master.
Atualmente é engenheiro de software na Petrobras onde atua também como Product Owner, além de se dedicar à divulgação dos métodos ágeis.

Daniel Texeira
  • CSM (Jul 2007, Boris Gogler), then worked 6 months as a developer in a Scrum team before assuming the ScrumMaster position.
  • Two years of experience as ScrumMaster (March 2008 – April 2010)
  • Lead R&D Software Engineer at Tecgraf/PUC-Rio
  • M.Sc. in Computer Science/Computer Graphics – PUC-Rio (2006-2008)
  • B.Sc. in Computer Science – PUC-Rio (2001-2005)

Em meados de 2007, um projeto de P&D com requisitos altamente complexos encontrava-se na eminência de um desastre. Mas poucos meses após adotar Scrum e dar início a um processo de melhoria contínua, passou a ser considerado um caso de sucesso.

Esta palestra relata a evolução do processo e das ferramentas usadas no SiVIEP ao longo de três anos, com o objetivo de repassar dicas e experiência para outras equipes. Dentre os tópicos abordados estão a evolução do Product Backlog, Card Wall, Burndown Chart e reuniões de projeto. Melhorias na infra-estrutura e ambiente de trabalho, e soluções para alguns dos problemas típicos dos ambientes acadêmicos: como lidar com equipes de dedicação mista e níveis de experiência muito díspares, e como encaixar atividades de pesquisa no workflow do Scrum.

Kanban em um projeto de desenvolvimento de software numa organização CMMI3

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 17:30
Felipe Furtado

Possui graduação em Engenharia Mecânica pelo Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Pernambuco (2000), especialização em Tecnologias da Informação pelo Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (2003) e mestrado em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (2009). Atualmente é doutorando no Centro de Informática, Engenheiro de Qualidade Sênior do C.E.S.A.R (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife) e coordena as atividades do grupo de Garantia da Qualidade e SEPG (Software Engineer Process Group). É certificado Scrum Master, tem experiência na área de Engenharia de Software, com ênfase em Qualidade de Software e Gestão de Projetos, atuando principalmente nos seguintes temas: Melhoria de Processos de Software, Modelos de Maturidade, Metodologias Ágeis e Estratégias de Melhoria de Produtividade. Possui experiência na definição e implantação de processos de gerenciamento de projetos de TI aderentes ao CMMI e em avaliações SCAMPI, com participação em avaliações Classe A CMMI níveis 2 e 3. Provê consultoria interna em melhoria de processo, Scrum e estimativas ágeis, ministra aulas de estimativas de software na Especialização de Engenharia de Software e Gestão Ágil de Projetos do C.E.S.A.R EDU, além de coordenar esta última. Co-orienta alunos do mestrado profissional do C.E.S.A.R EDU em temas relacionados com agilidade e maturidade. Ministra palestras e publicou diversos artigos sobre metodologias ágeis, estimativas e produtividade em eventos nacionais e internacionais.

Há uma grande quantidade de atividades executadas em projetos de software que apenas desperdiçam tempo e energia das equipes e que não agregam valor ao produto: testes ao final do projeto, criação de funcionalidades que não agregam valor ao cliente, criação de documentos desnecessários etc. Este artigo relata a experiência de um projeto de desenvolvimento de software que adaptou o seu processo para aplicação do Kanban com o objetivo de aumentar a produtividade eliminando desperdício.

Utilizando SCRUM em contratos de preço-fixo

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Thursday, June 24th
  • 18:15
Eduardo Meira Peres

Eduardo é diretor da DBServer onde é responsável pela área melhoria de processos de processos de software. Possui mestrado em Cências da Computação e atua como professor da área de gerenciamento de projetos na Faculdade de Informática da PUCRS. Com mais de 25 anos de experiência em projetos de software, foi precursor na utilização do RUP no Brasil. Atualmente dedica-se a integração eficaz das boas práticas de gerenciamento de projetos e engenharia de software em ambientes ágeis de desenvolvimento. Na DBServer coordenou a institucionalização de um processo baseado no SCRUM certificado como CMMI nível 2. Na PUCRS tem orientado vários trabalhos de conclusão de curso de graduação e pós-graduação na área de métodos ágeis. É profissional certificado em RUP e ScrumMaster.

É possível e aceitável realizar projetos por preço-fixo utilizando metodologias ágeis de desenvolvimento? Esta é uma pergunta formulada em quase todas as apresentações de introdução ao SCRUM para clientes e profissionais de gestão de TI.

Nesta palestra a DBServer, empresa empresa certificada CMMI nível 2, irá apresentar o seu processo de software conhecido como Linha Ágil, que utiliza diversas praticas do Scrum e foi concebido para permitir a realização de projetos de preço-fixo, entre outras formas de trabalho. Serão apresentados casos reais de projetos que foram realizados com sucesso nesta modalidade de contratação, analisados os prós e contras desta forma de trabalho e apresentadas as lições aprendidadas nos projetos em questão.

XP in the Real World

  • Expert
  • Talk
  • 45 minutes
  • Main Room
  • Thursday, June 24th
  • 18:15
Greg Warren

I have been at ThoughtWorks, Inc for over 15 years and have been a lead developer for 10 of those years. I have worked on agile project from 4 to 50+ people in multiple industries and around the world.

ThoughtWorks is currently opening an office in Porto Alegre and I am living here for at least one year to help get the office started.

Carlos Lopes

Carlos Lopes já atuou em diversas empresas dos mais variados ramos, desde instituições de ensino até grandes portais, envolvido nos mais diferentes tipos de projetos e com as mais variadas tecnologias. Atualmente é consultor da ThoughtWorks, onde trabalha diretamente com princípios ágeis, com foco especial em Extreme Programming, e também é editor técnico da revista .NET Magazine, do grupo DevMedia.

In this session, the speaker will relate the experiences of applying XP principles on large, complicated and sometimes distributed projects. After years as a lead developer on XP project one gains tremendous insight into how each of the practices add value and how they interact with one another. There are also negative results of not following the practices and one can often predict future issues based on this.

Como vi Scrum ser completamente rechaçado em uma grande empresa

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Friday, June 25th
  • 14:00
Leandro Silva

Estou envolvido com desenvolvimento desde 1997, quando entrei para o curso técnico em processamento de dados. Ingressei na a faculdade em 2000, para a cursar bachalelado em ciencia da computação, mas não concluí, fui até o terceiro ano, restando então o quarto e último ano.

Nestes 13 anos, desenvolvi diversos softwares, grandes e pequenos, em diversas linguagens, mas principalmente, em Java.

Há pouco mais de 3 anos me encontrei com XP, depois de já ter estudado bastante RUP e UML. Me apaixonei por agilidade e, pouco tempo depois, acabei me encontrando também com Scrum, fazendo curso com o Alexandre Magno, e me tornando evangelista de agilidade dentro da CVC Turismo, onde trabalhei por quase 3 anos.

Atuamente sou gerente de densenvolvimento de sistemas na Locaweb, uma empresa fortemente engajada com agilidade, junto com Fábio Akita, Fábio Kung e outros agilistas. No meu blog há um artigo recente que fala sobre essa experiência: “Tchau, tchau gerente, agora sou Scrum!”

Ouvimos por aí muitos relatos de sucesso de implementação de métodos ágeis em empresas grandes. Nós mesmos temos alguns. Mas onde estão os relatos de derrotas?

Nesta palestra vou contar uma história real em que vi Scrum ser completamente rechaçado em uma grande empresa que trabalhei.

Essa não é uma palestra sobre apontar culpados, mas sobre identificar falhas que comprometeram completamente a adoção de métodos ágeis nesta empresa.

Alguns erros que me ouvirão falar nessa apresentação:

1- Houve uma bênção dubia da diretoria
2- Houve descrédito total da gerencia
3- Houve pouquíssima interface que abstraísse o escritório de projetos

O que aprendemos com esses erros (e alguns outros mais) é que o principal de tudo se resume em “ter a bênção da diretoria”, não dubiamente, claro.

Agilidade em um contexto hostil: utilizando práticas ágeis em um projeto multi-time de grande porte

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Friday, June 25th
  • 14:45
Ciro Coelho
  1. Formação

    Mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco na área de Processos de Software.

    Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Ceará.

    Certificações PMP e CSM.

  2. Atuação Profissional

    Atuando na área de qualidade e processos de software desde 2001.

    Atualmente responsável pela área de qualidade de software do CGDT (www.cgdt.org.br), que utiliza métodos ágeis para o desenvolvimento de grandes projetos governamentais.

    Um dos reponsáveis pela implantação de métodos ágeis e CMMI no Instituto Atlântico (www.atlantico.com.br), tendo a empresa obtido o nível 5, em 2009, utilizando métodos ágeis.

    Responsável pela implantação de processos na In Forma Software (www.informa.com.br), tendo sido a primeira empresa cartificada MPS.Br, em 2005.

    Professor da Faculdade 7 de Setembro (www.fa7.edu.br), ministrando atualmente as disciplinas de Engenharia de Software e Gerenciamento de Projetos, na graduaçào em Sistemas de Informação, e Processos de Desenvolvimento de Software, na Especialização em Engenharia de Software, tendo também ministrado diversos mini-cursos sobre métodos ágeis.

    Autor de diversos artigos publicados em congressos nacionais e internacionais na área de Engenharia de Software.

Paulo Furtado

A mais de 13 anos trabalha na área de desenvolvimento de software. Possui mestrado em Engenharia de Teleinformática pela Universidade Federal do Ceará. Nos últimos 4 anos vem aprimorando seus conhecimentos em medogologias ágeis de desenvolvimento. Possui as certificações Certified Scrum Product Owner, Certified Scrum Master e Certified Scrum Pratictioner da Scrum Alliance. É co-fundador do grupo scrum-fortaleza e atualmente é moderador da lista de discussão SCRUM-BRASIL. Participa de projetos na Prefeitura Municipal de Fortaleza e no Governo Estadual do Ceará como Agile Coach.

Muitos profissionais na indústria de software acreditam que metodologias ágeis não podem ser aplicadas de forma efetiva em projetos de grande porte, em projetos com equipes distribuídas e em projetos para o Governo, onde existe uma série de restrições contratuais. Nesta palestra, será apresentada a experiência de utilização de práticas ágeis para o desenvolvimento de um ERP governamental. O projeto está sendo desenvolvido por múltiplas equipes, de empresas diferentes, além de apresentar uma série de outros desafios, tanto de ordem técnica quanto de negócio. Serão apresentadas as ferramentas e práticas utilizadas para enfrentar essas dificuldades.

Quando o Scrum passa a atrapalhar

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Experience Reports Room
  • Friday, June 25th
  • 15:30
Cecilia Fernandes

Bacharelando em Ciência da Computação pela USP, desenvolveu como trabalho de conclusão de curso um software para gerenciamento de métodos ágeis. O envolvimento com a área aconteceu anos antes, através de eXtreme Programming e, mais tarde, Scrum.

É certificada pela Scrum Alliance como Certified Scrum Practitioner.

Desenvolvedora, consultora e instrutora pela Caelum, é responsável pelo curso de Gerenciamento ágil com Scrum e participa de projetos, tanto comerciais quanto open source, utilizando diariamente métodos ágeis.

Além disso, atualmente, trabalha como consultora na implantação de métodos ágeis e entendimento da cultura ágil, enquanto estuda Cristal e promove a utlização de Lean dentro da Caelum.

Guilherme Silveira

Tendo trabalhado nos últimos 6 anos na Caelum, seu primeiro contato mais forte com XP foi através do projeto XStream de Joe Walnes no grupo Codehaus, reforçado pelos releases posteriores do VRaptor e hoje em dia de diversos outros projetos open source e fechados executados para a Caelum ou para clientes. Com um envolvimento grande na comunidade java, tendo co-fundado o GUJ, se ligou mais a parte de metodologias ageis não ligadas a engenharia de software quando seu papel tornou-se um pouco menos técnico e hoje em dia é líder técnico e responsável pelo conteúdo técnico dos cursos da Caelum. Na faculdade de matemática aplicada pode colocar em prática diversos conceitos ligados a TDD com relação a seus projetos de iniciação científica e deixar de lado os mesmos ou utilizá-los quando necessário em problemas das maratonas de computação.

Em um projeto de gerenciamento de empresa, a lista de funcionalidades não acaba enquanto a empresa existir. Nos dois primeiros anos desse projeto, Scrum foi uma boa escolha e, junto a boas práticas de engenharia de software, trouxe excelentes resultados. Contudo, a burocracia desse framework tem limitado o time e incomodado clientes cada dia mais exigentes.

Quando Scrum passou a atrapalhar, a implantação de Lean veio de forma natural. Nessa palestra, mostramos os desafios e soluções da implantação de Lean num projeto maduro e sempre em desenvolvimento.

Management

O mundo mudou. Você viu?

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Management Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:00
Flavio Steffens de Castro

Flávio Steffens de Castro é formado em Sistemas de Informação pela PUCRS e MBA em Gestão Estratégica de TI, pela FGV. Gerente de projetos há 5 anos, atuou em empresas de desenvolvimento de software, hardware, P&D e marketing web.

Autor de dois blogs sobre agile e gestão:
MudandoUmaPequenaEmpresa (inativo)
Agileway

Procura sempre que possível disseminar os valores, práticas e cases dos mundo ágil, pois acredita que este é apenas um dos reais processos de mudança que estão ocorrendo na forma como encaramos e conduzimos o trabalho operacional, tático e estratégico.

Esta palestra irá apresentar aos ouvintes uma série de acontecimentos e mudanças que vem ocorrendo de uma forma cada vez mais rápida, convergindo para uma nova forma de encarar o mercado, o trabalho e as relações humanas.

O objetivo é convidar os ouvintes a uma reflexão e demonstrar como os processos ágeis são, em sua essência, apenas um dos novos modelos que se aderem a esta nova realidade.

Os temas serão expostos através de cases e exemplos coletados de vídeos, revistas e blogs.

Kanban: Em busca de ritmo sustentável

  • Practitioner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • Main Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:00
Alisson Vale

Com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software e no mínimo 8 anos liderando e gerenciando projetos de software, é um entusiasta de Desenvolvimento Ágil no Brasil, onde tem um grande nível de participação na comunidade, escrevendo artigos, apresentando palestras e debatendo em fóruns de discussão. Atualmente é coach e Líder de Produto na Phidelis Tecnologia, onde muitas dessas técnicas e idéias são constantemente desafiadas e aplicadas em cenários do mundo real.

Uma apresentação com o objetivo de expor os modelos de pensamento, técnicas e mecanismos que são utilizados em projetos Kanban, levando equipes de trabalho a alcançar, dentre outras coisas, o princípio de ritmo sustentável apontado como um dos mais fundamentais pela comunidade Ágil.

Pra você, desenvolver software é atividade intelectual? Pro Governo Brasileiro, não.

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Management Room
  • Thursday, June 24th
  • 11:45
Alexandre Gomes

Mestre e Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade de Brasília; Diretor Técnico da SEA Tecnologia; Mais de 10 anos de experiência em arquitetura e desenvolvimento de software; Mais de 4 anos de experiência em gestão de projetos e liderança de equipes; Experiência em editorial de revistas e sites de conteúdo técnicos (MundoJava e InfoQ); Instrutor de cursos oficiais da Sun Microsystems, SAP, RedHat/JBoss e Liferay com centenas de horas ministrando treinamentos para a iniciativa pública e privada; Palestrante em dezenas de eventos tecnológicos nacionais e internacionais; Grande defensor da utilização de modelos colaborativos e ágeis para a gestão empresarial; Atualmente com pesquisas em modelos arquiteturais para a computação ubíqua.

Renato Willi

Renato Willi é formado em Ciência da Computação na UnB, Pós-Graduado em Implantação de Software Livre na UNISUL, e cursa MBA na FGV. Trabalha na coordenação colaborativa da área técnica na SEA Tecnologia, utilizando metodologias ágeis. Certificado como PMP, ITIL-F, SCJP, IBM RMUC e IBM RUP Specialist.
Tem artigos publicados na revista Mundo PM e é editor dos blogs da SEA Tecnologia e Visão Ágil.

A mentalidade industrial de nossos legisladores desenham um futuro cataclítico para a TI no setor público. Em recente debate aberto em um órgão do governo, fomos surpreendidos com afirmações dignas de 30 anos atrás. Como atores diretos deste segmento, indignamo-nos com o desejo generalizado de se fazer sempre mais do mesmo e a displicência dos envolvidos com todas as tendências pró-agilidade, sustentabilidade e eficiência que emergem mundo afora. Iremos continuar o raciocínio iniciado no evento Agiles´2009, na palestra sobre Licitações Ágeis, revisando cada conceito relacionado, analisando a atual Lei de Licitações, refletindo sobre o que deve levar pessoas tão inteligentes a pensarem desta forma e sobre como podemos mudar a inércia da máquina pública rumo ao colapso.

"It's the Economy!" - Agilidade, indicadores financeiros e criação de valor

  • Beginner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Management Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:00
Jose Papo

José Papo é mestre em engenharia da computação pelo IPT. Atua como líder de automação e Agile coach da BRQ-SP e como professor de pós-graduação na Universidade São Judas Tadeu, na FIAP e na PUC-SP. Utiliza RUP (na sua filosofia original, isto é, ágil!), OpenUP e Scrum em seus projetos. Seu blog versa sobre assuntos de engenharia de software, ferramentas, frameworks e métodos ágeis. Suas disciplinas acadêmicas tratam sobre métodos e práticas ágeis, arquitetura de software e design emergente.

Essa palestra mostrará, através de fundamentos e indicadores econômicos e financeiros, a importância da Agilidade e de determinadas práticas Ágeis para obter um maior valor agregado relativo aos investimentos realizados nos departamentos de TI.

Coaching para a Liderança de Equipes Ágeis

  • Practitioner
  • Talk
  • 90 minutos
  • Management Room
  • Thursday, June 24th
  • 14:45
Manoel Pimentel Medeiros

Manoel Pimentel Medeiros, É Engenheiro de Software, com 15 anos na área de TI, atualmente trabalha como Coach (PPC) em Agile e Lean para empresas do segmento de serviço, financeiro e bancário. É Diretor Editorial da Revista Visão Ágil e já escreveu sobre agile para portais e revistas do Brasil e exterior. Palestrou em eventos nacionais e internacionais sobre agilidade. Também possui as certificações CSM e CSP da Scrum Alliance e foi um dos pioneiros na utilização e divulgação de métodos ágeis no Brasil.

Nessa palestra será mostrado que o Coaching e a Facilitação em combinação com os valores e princípios ágeis, são formas eficazes para criar e conduzir o processo de mudança numa organização.
Através de algumas brincadeiras com o público, também será abordado que essas técnicas podem ser usadas para combinar os potenciais criativos das equipes. Essas técnicas podem ajudar no alcance das metas num projeto de software, bem como identificar os impedimentos do dia-a-dia e como superá-los de forma que o potencial produtivo da equipe seja alavancado.

A pirâmide Lean e o equilíbrio de forças no desenvolvimento ágil

  • Beginner
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • Management Room
  • Thursday, June 24th
  • 17:30
Samuel Crescêncio

Samuel is a senior software engineer who has been building mission critical systems since 1994 – founder and CEO of OnCast Technologies, a growing Brazilian company which provides world class outsourcing services and agile mentoring to help other companies become agile. Samuel has acquired a great experience in distributed agile development and is passionate for processes improvement. Recognized as an agile leader, Samuel was Chairman of Ágiles2009 – the second edition of the Latin American Agile Conference. Currently Samuel is member of the organization committee of Ágiles2010 and Agile Brazil – the first main Brazilian Agile Conference. Samuel is Lean Software Development Practitioner, Certified Scrum Master and has 16 years of proven experience in the software industry.

A Pirâmide Lean apresenta um conceito que auxilia empresas a iniciarem sua estratégia de adoção de métodos ágeis de forma efetiva. Entregar consistentemente e frequentemente software de alto valor agregado é muito mais do que criar, estimar e priorizar um backlog, e desenvolvê-lo de forma iterativa. Para ter sucesso com o desenvolvimento ágil você precisa entender o equilíbrio necessário de forças entre esforços de estratégia, gestão e engenharia. Através de uma profunda explanação sobre os princípios fundamentais do Lean, você vai aprender como eles podem ser implementados no desenvolvimento ágil de software, a fim de criar uma forte e bem sucedida cultura na sua empresa.

John: o Product Owner que ama usabilidade

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Main Room
  • Thursday, June 24th
  • 17:30
Alexandre Magno

Alexandre Magno (ax) é Certified Scrum Trainer pela Scrum Alliance. Após uma longa jornada liderando e gerenciando projetos ágeis em diversas empresas no Brasil como consultor independente, Magno atua hoje como coach no processo de mudança organizacional que envolve a aplicação de Agile e Scrum, e como Trainer fornecendo os treinamentos de Certified ScrumMaster e Certified Scrum Product Owner, além de workshops específicos. Ele é Co-fundador da AdaptWorks.

As empresas de desenvolvimento de software que ignorarem a necessidade de se investir em usabilidade de sistemas estarão fora do jogo muito em breve! Isso porque a partir do momento em que entregar projetos de forma ágil deixar de ser um diferencial, os clientes irão querer mais…irão querer contratar empresas que entregam de forma ágil produtos que tenham a sua cara e que sejam de surpreendente usabilidade. E, se seu Product Owner não começar a entender agora o valor de se investir nessas características de produto? E se ele continuar pedindo e insistindo em funcionalidades com “cara quadrada”?
Nesta palestra você conhecará John, a persona de um Product Owner que ama usabilidade, e entenderá porque isso é tão importante para o dia-a-dia de trabalho dele.

Amadurecendo o workflow do projeto com práticas do Kanban

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Management Room
  • Friday, June 25th
  • 14:00
Rodrigo Branas

Rodrigo Branas is a Team Leader and Java Developer. During the past 7 years, worked in many projects in the industries of Telecom, Media & Entertainment, Financial Services, Government, Manufacturing and Transportation, always using J2EE related technologies. Lately, has been leading agile projects as a ScrumMaster at OnCast Technologies.

He is B.Sc. in Computer Science, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) and Master of Business Administration (MBA) in Project Management, Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Actually holds the PMP, Project Management Professional Certificate, from Project Management Institute, CSM, Certified ScrumMaster Certificate, from Scrum Alliance, SCJA, SCJP, SCWCD and SCBCD Java Certificates, from Sun Microsystems and MCP, Microsoft Certified Professional Certificate, from Microsoft.

Speaker at Ágiles 2009 with the presentation Self-Organized teams at OnCast Technologies.

Atualmente, muitas empresas estão adotando metodologias ágeis, em especial o Scrum, com o objetivo de melhorar a gestão de seus projetos de software. No início, os projetos costumam utilizar um workflow simplificado para sinalizar e controlar o andamento das iterações. Com o passar do tempo, problemas como a indefinição do escopo, falta de objetivos, código legado, atividades de manutenção e até mesmo dependências com outros projetos ameaçam a eficiência desse modelo e a qualidade das entregas.

Incorporando ações técnicas e de qualidade e limitando a quantidade do trabalho em execução é possível estabelecer um workflow estável e otimizado, capaz de evidenciar impedimentos e gargalos, além de proporcionar um ambiente mais saudável e em constante melhoria.

Áreas de conhecimento do PMBOK aplicadas em um time Ágil - Como fica?

  • Practitioner
  • Talk
  • 45 minutes
  • Main Room
  • Friday, June 25th
  • 14:00
Daniel Wildt

Daniel Wildt atua com capacitação, coaching e desenvolvimento de projetos usando Metodologias Ágeis desde 2003. Em 2004 fundou o Grupo de Usuários de Metodologias Ágeis do Rio Grande do Sul, que coordena desde então. É especialista na aplicação de Lean, eXtreme Programming e Scrum, em times locais ou ambientes distribuidos. Já participou de projetos envolvendo 3 continentes aplicando Metodologias Ágeis e diversos fuso horários, participou de diversos eventos na área, e possui publicações nacionais e internacionais na área em portais, revistas e congressos.

Aleckssandro Tavares

14 anos de experiência com Desenvolvimento de Software, sendo os últimos 11 com Web. Me dedico ao estudo de engenharia de software, processos de melhoria contínua, gerência de projetos e, desde 2007, principalmente ao estudo e aplicação de Métodos Ágeis.

Graduado em Sistemas de Informação cujo trabalho de conclusão foi GERÊNCIA DE PROJETO COM PMBOK® E SCRUM UM ESTUDO DE CASO.

Nos últimos dois anos tenho liderado a implantação de Métodos Ágeis na equipe onde trabalho e na evangelização dos princípios ágeis na empresa.

Apresentar como as áreas de conhecimento do PMBOK podem ser aplicadas em um time que trabalha com Metodologias Ágeis. Mostrar as aderências e adaptações na gestão de projetos usando algumas práticas e processos do Guia.

Café Kaizen: Uma Rápida e Efetiva Técnica de Resolução de Problemas para Equipes Ágeis

  • Expert
  • Tutorial
  • 90 minutes
  • Limit: 50 participants
  • Management Room
  • Friday, June 25th
  • 14:45
Luiz Claudio Parzianello

Engenheiro Eletricista formado pela PUCRS e Mestre em Sistemas Eletrônicos pela USP. Possui mais de 25 anos de experiência em informática, atuando no Brasil e no exterior para grandes organizações interessadas no aperfeiçoamento de suas equipes e implantação de programas de melhoria de processos de software. Coach e Trainer nas áreas de gestão organizacional e Metodologias Ágeis, é especialista em temas como Engenharia de Requisitos, Lean Software Development, Scrum e Extreme Programming, sendo pioneiro na utilização de técnicas de Programação Neuro-Linguistica (PNL) nos mais diferentes aspectos do desenvolvimento de software. É sócio-fundador da empresa Surya Gestão Digital e vice-Coordenador do Grupo de Usuários de Métodos Ágeis da SUCESU-RS (prêmio destaque de GUs de 2009). Participante ativo de eventos nacionais e internacionais da comunidade Ágil, foi organizador e/ou palestrante no Extreme Programming Brazil 2004 (SP), Extreme Day 2005 (Porto Alegre), Agiles 2008 (Buenos Aires), Porto Alegre Agile Weekend 2009, Scrum Gathering Brazil 2009 (São Paulo), Agile 2009 (Chicago), Agiles 2009 (Florianópolis), entre outros.

Rafael Prikladnicki

Professor da Faculdade de Informática da PUCRS desde 2004, com doutorado (2009) e mestrado (2003) em Ciência da Computação pela PUCRS. É membro da Scrum Alliance e Certified Scrum Master (CSM), além de ter participado da tradução do Guia oficial do Scrum para o Português. É gerente de projetos profissional (PMP) certificado pelo PMI (2005) e implementador credenciado no modelo MPS.BR (2005). Atual coordenador da área de gestão de projetos da Agência de Gestão Tecnológica (AGT) da PUCRS, possui também atividades de consultoria e capacitação em gerenciamento de projetos, desenvolvimento distribuído de software, implementação de programas de melhoria de processo de software baseados nos modelos MPS.BR e CMMI e em metodologias ágeis para desenvolvimento de software em tópicos como Scrum, Lean e Extreme Programming. É pioneiro no tema de desenvolvimento distribuído de software no Brasil, sendo co-autor do primeiro livro em português na área, publicado em 2007 pela Campus/Elsevier. Atua também na coordenação da rede SPIN-POA na PUCRS e na vice coordenação do Grupo de Usuários de Métodos Ágeis (GUMA) da Sucesu-RS.

Café Kaizen é uma dinâmica de grupo baseada em poderosas técnicas de comunicação, utilizadas por praticantes da Programação Neuro-Linguística (PNL), concebida para sistematizar e orientar a realização de eventos de análise e resolução de problemas de equipes ágeis. Quando realizada de forma efetiva, ela demanda não mais do que 90 minutos para analisar os sintomas e as causas de um resultado negativo indesejado num ambiente de software, convergindo para a identificação do resultado desejado sustentado por novos comportamentos, efeitos e recursos acordados por todos os integrantes da equipe ágil. Este tutorial tem por objetivo apresentar os conceitos e práticas do Café Kaizen, demonstrando a dinâmica com a participação de voluntários e a simulação da resolução de um problema.

Brazilian Workshop on Agile Methods (WBMA)

You can see the call for papers of the WBMA. Below are listed the selected works.

All activities of the Workshop will take place on Thursday, June 24th, at the WBMA Room.

  • 11:00 - Release Planning
    • Practitioner
    • Workshop
    • 90 minutes
    • Limit: 60 participants
    Philippe Kruchten

    Philippe Kruchten is professor of software engineering in the department of Electrical and Computer Engineering of the University of British Columbia, in Vancouver Canada. He joined UBC in 2004 after a 30 year career in industry, where he worked mostly in with large software-intensive systems design, in the domains of telecommunication, defence, aerospace and transportation. Some of his experience is embodied in the Rational Unified Process (RUP) whose development he directed from 1996 until 2003, when Rational Software was bought by IBM. RUP includes an architectural design method, known as “RUP 4+1 views”. His current research interests still reside mostly with software architecture, and in particular architectural decisions and the decision process, as well as agile software engineering processes. He is the co-founder and chair of Agile Vancouver. Kruchten received his mechanical engineering diploma from Ecole Centrale de Lyon, and his doctorate degree in Information Systems from Ecole Nationale Supérieure des Télécommunications in Paris. He is a member of IEEE, ACM and AIS, and a Professional Engineer in British Columbia.

    Release planning is the decision process by which we decide what we are going to do next in a software project, for the best of its stakeholders, and in face of all the uncertainties inherent to such endeavour. While a simple strategy can focus at all on “delivering value”, this rapidly becomes much more complicated when we take into consideration dependencies, value and cost, software architecture work, defects, technical debt, the uncertainties on estimation, multiple stakeholders to satisfy and the impact of time. In this workshop, we present a gradually more and more sophisticated strategy, drawing on various established techniques to deal with this delicate problem.

  • 14:00 - Ferramentas e técnicas para métodos ágeis
    1. "Software Process Improvement in Agile Software Development" - Mariana Cerviño, Célio Santana, Danilo Caetano e Cristine Gusmão
    2. "XP Tracking Tool: Uma Ferramenta de Acompanhamento de Projetos Ágeis" - Carla Adriana Barvinski, Maria Istela Cagnin, Nilson Evaldo S. Lima Filho e Leandro Veronezi
  • 14:40 - Estudos empíricos com métodos ágeis
    1. "Realidade de uma Fábrica de Software utilizando Scrum no Desenvolvimento de Software" - Alinne Santos, Adalto Filho, Igor Ramos, João Paulo Sette, Luciano Souza, Luis Alberto Lima, Rafael Bacelar, Rebecca Carvalho e Fabio Silva.
    2. "Agilidade na UFABC - Implantação da Metodologia Scrum na Divisão de Desenvolvimento" - Maurício Szabo
    3. "Adoção de métodos ágeis em uma Instituição Pública de grande porte - um estudo de caso" - Claudia Melo e Gisele Ferreira
    4. "Estudo de Caso da Utilização de Scrum no Desenvolvimento Distribuído de Software" - Virginia Chalegre, Wylliams Santos, Leandro Oliveira e Hernan Muñoz
    5. "Conducting an Architecture Group in a Multi-team Agile Environment" - Mauricio De Diana, Fabio Kon e Marco Aurélio Gerosa
  • 17:30 - Testes no contexto de métodos ágeis: técnicas, padrões e apoio automatizado
    1. "ClassMock: A Testing Tool for Reflective Classes Which Consume Code Annotations" - Eduardo Guerra, Fabio Silveira e Clovis Fernandes
    2. "ATMM uma ferramenta para gerenciamento de métricas de teste no contexto de métodos ágeis" - André Abe Vicente e Márcio Eduardo Delamaro
  • 18:15 - Estudos concentuais com métodos ágeis
    1. "Desenvolvimento de jogos é (quase) ágil" - Fabio Petrillo e Marcelo Pimenta
    2. "Perspectiva Social, Comunicação e Cooperação nos Processos de Desenvolvimento de Software" - Amaury Carvalho e Ciro Coelho